Eu fui ao mar, mas não encontrei o Amar...


Essa manhã fui passear na praia de Boa Viagem, sai cedinho antes mesmo do sol nascer, queria ver o dia começar devagar, com os primeiros raios alaranjados sendo refletidos pelo mar calmo nos arrecifes tão comuns por aqui. Admito que queria sentir as inspirações dos poetas entregues, dos músicos boêmios... Caminhei pela areia molhada e sentia a água ainda fria da noite borbulhar em meus pés, estava à procura da tal inspiração, mas meu amigo, desculpe decepciona-lo, mas admito que foi em vão! Um pouco à frente havia um senhor com carrinho, um vendedor de milho, estava começando cedo, aquando as pessoas chegavam ainda de maneira tímida, foi então que ele me perguntou me referindo como "senhor", o que o eu procurava alí, olhei para ele e disse de maneira cliché que era a inspiração e o Amar, por fim ele me disse: Eu não encontro o Amar aqui, e olha que eu venho todo dia, eu vejo ele à noite lááááááá no meu casebre! Agradeci o homem, comprei uma espiga de milho e sai mastigando enquanto a margarina derretida com sal escorria pelos meus dedos.


O amar está longe de mim, não ocupa uma casa confortável com decoração sublime, esse Amar é tímido, pouco se anuncia por ser retraído por natureza, e se você não perceber sua presença pode acabar lamentado seu fim quando fica evidente que partiu. O homem que tem o dom de perceber e valorizar sua existência, quando ocorre, ri se motivo, anda sem destino e faz pipoca hora que der na telha, pois o Amar se encontra no aconchego de um cafuné, no carinho da sua pela suave e na áspera ausência presente nos lençóis do mais puro algodão. O Amar vem de brinde na pizza barata, está no frio da necessária cerveja e o tempero especial do molho de macarrão, dando o toque único para o tomate, cebola, sal, azeite e só.


Amar é se preocupar com o silêncio do sumiço, com a saúde cotidiana, pois Amar não vem em comprimidos, poções ou xaropes (de fato xarope não combina nada com amar, mesmo que seja daqueles docinhos). Dormir junto é amar em silêncio, que as vezes é quebrado com um ronco sonoro que te acorda e só te faz cobrir o outro para espantar o frio. Amar é acordar atrasado, colocando roupa correndo e escovando os dentes enquanto toca aquele sonzinho antigo, música que fala de Amar na perfeição, mas que ninguém jamais entende como uma cama desarrumada e um travesseiro com "babinhas" pode ser uma cena linda, só pra nós faz sentido.


Mas eu te alerto meu amigo, deixe-se levar, não adianta lamentar um alguém que amou enquanto há um Amar de agora. Fazer isso é uma troça muito feia, só que ninguém vai te falar nada, mas me diga, trocaria o amargo passado pelo sabor doce de brigadeiro do Amar? O Amar causa inveja, principalmente por aqueles que o fingem ter, Amar falso é como bolo lindo sem delícia, como camisa elegante que não serve ou música com melodia de jingle. Amar não gosta de brigas, elas podem até existir, mas duram menos que uma propaganda de Xampu, e fazem menos sentido do que a letra de Parabólica dos Engenheiros do Hawaii.


Amar é confiar para tudo, acreditar no outro em sua plenitude, e não ter receio algum disso; é crer no sucesso, estar na plateia com orgulho imenso só esperando a hora certa de se levantar e aplaudir como se estivesse numa ópera italiana; é comemorar as conquistas e se aventurar juntos, mesmo que seja apenas num novo corte de cabelo que ficando horrível só cabe a rir e esperar o tempo concertar.... Ah o tempo... Ele ajuda a esquecer, nos faz refletir, e ele e tão somente ele, revela e escancara o Amar.


Não encontrei o Amar naquela praia, Amar está em todo lugar. A natureza só o faz destacar e somente os poetas tem a autorização de dar ao Amar a feição que desejar, e isso não é crime das palavras, é liberdade de quem já saboreou a suculência do Amar.


O Amar não somente está no mar, as ondas só aguçam nosso cego enxergar, pois não faria sentido pois sendo menino do interior que só via o mar de nuvens entre as montanhas lá do Paraná, conheci o mar aos treze anos, ou era Amar? não poderia o Amar estar limitado a essa experiência, senão o rapaz do sertão jamais levaria uma flor de Manaca pro seu xódo, ou a menina de Minas não alegraria seu chamego com aquele doce de leite... O Amar não está no mar, mas está no simples ato de viver, Valorize! E como os anos correm com a força das ondas do mar trazendo consigo a inevitável saudade. Agora vai de você usa-la como a contemplação Amar, ou como o pesar de que não enxergou as suas ondas do mar.















POSTS RECENTES: